Diário da mudança #2 - Encontrar casa é uma dor de cabeça

17:48


Na busca pela minha casa perfeita eu delimitei um valor máximo e comecei a procura por apartamentos com as seguintes características: interiores claros (portas e paredes brancas), varanda e numa zona calma/segura. Quem já procurou casa sabe perfeitamente a missão quase impossível que é encontrar um cantinho ao nosso gosto. O meu maior problema é que, quando encontro, corre sempre alguma coisa mal.

Uma das conclusões que tiro disto tudo é que estamos num mundo em que metade tenta comer a outra metade. As pessoas não têm um mínimo de respeito e, no que toca a alugar casas, já me chateei muitas vezes mesmo. É incrível a falta de educação e noção de certos proprietários que simplesmente deixam de responder a e-mails ou atender telefonemas. Se não estão interessados ou se a casa já foi arrendada, avisem, é para isso que se inventaram as palavras - para comunicar.

E achava eu que o maior problema eram os particulares - que assim que arrendavam a casa - deixavam de dizer fosse o que fosse. Para terem uma ideia, já tinha as coisas acordadas com um proprietário, enviei os meus documentos para ele redigir o contrato e... Nunca mais me disse nada. Resultado: Recebeu uma oferta maior e nem se deu ao trabalho de dizer que afinal o acordo ficava sem efeito.

No entanto, uma "querida" agente imobiliária fez-me ver que toda a gente consegue ser um belo sacana. Passo a explicar. Fui ver uma casa, cheguei mais cedo, toquei e nada. Okay, cheguei mais cedo, a agente ainda não deve ter chegado. Quando ficou mais perto da hora, liguei para a sede da agência (visto que não me tinham fornecido o contacto da pessoa que me ia fazer a visita) e lá ligaram para ela. Oiço então uma voz a chamar o meu nome de uma janela. Afinal ela já lá estava. Subi as escadas, vou até à porta e lá está ela com aquele sorriso de quem mais queria estar a fazer outra coisa a receber-me com um "não tocou? Podia ter tocado". Ao que respondi: 
- "Toquei sim, mas ninguém atendeu"
- "Tocou? 1º Esquerdo???"
- "Sim..."
- "Não, para aqui não tocou"
- "Toquei sim..."
- "Deve ter tocado para o direito"
- "Não, toquei mesmo para o esquerdo porque até tive o cuidado de confirmar mas se calhar não carreguei com força suficiente no botão e acabou por não tocar"
- "Pois, ou então enganou-se"

Começa bem, pensei eu... Snob snob snob. Se aquela fosse a proprietária NUNCA lhe arrendaria a casa, mas como é só a consultora imobiliária pronto...

Comecei a ver a casa, adorei, disse que era exactamente o que queria e a zona também pois tinha lá família e tudo mas... A casa tinha 2 problemas: a cozinha tinha partes pintadas a laranja e tudo mal pintado e a proprietária tinha deixado lá umas mobílias que nada combinavam com nada. Então perguntei se seria possível eu pintar por cima do laranja e se as mobílias podiam sair. Ela disse que pintar provavelmente sim e que as mobílias provavelmente não mas ficou de confirmar com a proprietária. Outra coisa que também não adorei mas não me deu comichão como as outras duas que enumerei foi o pavimento. Tacos de madeiras mais antigos que um dinossauro - na casa toda (excepto cozinha) e sim, sala e corredor incluídos. Referi que aquele chão estava gasto e todo riscado e se a proprietária se importaria de eu trocar por um soalho flutuante ou vinílico ao que a querida responde:
- "Trocar? Mas é você que paga, certo?"
- "Claro, se sou eu que quero trocar"
- "Pois, mas tem de ter sempre o consentimento da proprietária"
- "Por isso é que estou a pedir para perguntar"
- "Mas olhe que este chão é muiiiiiiito bom"
- "Mas está muiiiiito velhinho e todo riscado"

Entretanto cansei-me de vez da madame e perguntei se era possível eu falar com a proprietária visto que queria muito ficar com a casa e assim expunha logo as minhas dúvidas. Ela respondeu que ia passar-me o contacto skype dela visto que estava fora do país e que eu assim poderia falar directamente com ela.

No dia seguinte não disse nada e liguei para a agência imobiliária mais uma vez. Aí sim forneceram-me o contacto da madame e eu liguei-lhe. Imaginem a minha poker face quando ela me diz isto (e eu tinha cá uma amiga a ouvir a conversa toda e até ela ficou chocada):
- "Olhe Inês, a seguir a si estiveram cá duas raparigas que também quiseram ficar com a casa. Mas elas gostaram de tudo e não pediram para mudar nada então eu dei o contacto delas à proprietária e elas devem ficar com a casa"
- *POKER FACE* "Okay..."

Ou seja, vieram pessoas depois de mim e só porque não lhe apeteceu ser competente foi pela easy way out. Sim senhora, esta madame é uma profissional em peras. 
As pessoas dizem-me para fazer queixa dela. Ainda estou a ponderar mas sinceramente acho que também não daria em nada. A madame iria continuar com o seu nariz empinado a praticar a lei de menor esforço e eu só me ia chatear.

E aqui continuo eu, em busca da minha futura casa - não perfeita porque já meti os pés na terra e já vi que é impossível - mas algo que eu possa chamar de meu cantinho.

Inês Ribeiro


You Might Also Like

1 comentários

  1. Inês eu acho que tu vais conseguir uma casa ótima, se calhar é só uma questão de tempo por isso continua a ter foco e fé! Um Beijo!!

    ResponderEliminar

Obrigada pelo comentário ♥